Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O RIO QUE SEGUE

A grave presença dos corpos.
Só reafirmo o que se sabe,
O valor da terra enriquece os portos
Sátiros pendurados pelos postigos
Prestigio de ser livre e perigoso.
Encerra o versar da terra e suas
Ordenações.

As cores pretéritas são portas obscuras
Decorrentes de rasas pontes de madeira
O rio que segue se ajusta ao ponto morto
Da rigidez e dos remotos antiquários.

Regimes de contas ouve-se na noite.
Onde as pontes (sempre elas)
São desestruturadas, assuntadas, dobradas,
Um quarto de hora que já se finda.

A noite caindo, pesada como cimento.
PHYLOS
Enviado por PHYLOS em 15/07/2007
Código do texto: T565415


Comentários

Sobre o autor
PHYLOS
São Paulo - São Paulo - Brasil
49 textos (5817 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/09/20 10:20)
PHYLOS