Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Solidão de Poeta

Solidão de Poeta
 
Delasnieve Daspet
 
Os olhos vendados no desanimo que toma conta.
Uma nuvem esconde o sol da confiança;
Uma muralha entre o que sei que é
E o que não pode ser...
Um hiato ante o que se chegou
E o que se pretendia...
 
No real e no imaginário,
Uma cruz no caminho da realização.
 
Só - ninguém é!
Existe todo um mundo
Que não nos deixa à deriva,
Que nos aponta o caminho
Do brilhante  ou  opaco farol da vida!
 
Mas com o Poeta,
Todas as profecias são contrariadas,
E nas vidas que se renovam
os pássaros cantam nas janelas!
 
Os poetas não são solitários,
Tem o sol, a lua, o vento, o sorriso,
O mágico momento das carícias que imaginam
E que chegam a sentir...
 
Pode morrer como um passarinho,
Sozinho, mas não só!
 
Pois o poeta, este criador de sonhos e utopias,
Rico de velhas palavras e melancolia,
Brinca, sorri, e, em êxtase,
Se entrega a dor de cada pancada,
Com lágrimas amargas n´alma...
 
O manto negro da noite tudo cobre,
As ondas do mar imaginário bate nas pedras,
O Fauno da floresta se aproxima
E o Poeta cerra os olhos
E navega suavemente - na saudade -,
Doce saudade de um olhar!
 
Como é longa a noite sem ti!
Campo Grande-MS, 23,00 14-07-07
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Delasnieve Daspet
Enviado por Delasnieve Daspet em 15/07/2007
Código do texto: T565495
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre a autora
Delasnieve Daspet
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 70 anos
792 textos (34956 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/05/21 04:10)
Delasnieve Daspet