Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Mendigando Amor

Uma palavra de afeto,
Acalentaria a alma solitária.
Sofrida, abandonada, extenuada,
Uma simples mostra de afeto...
A acariciar o coração amargurado,
Roto, maltrapilho, desfigurado...

A busca incansável de uma atenção, um sorriso sequer ...
Em um mundo onde simplesmente “não se tem tempo” !
Mundo que tornou as pessoas frias, egoístas e omissas,
Atribuindo o valor de uma Vida, o “ignorar ao próximo”.

Uma palavra amiga,
Salvaria um ser em desesperança.
A ausência do último motivo de viver,
Uma simples mostra de afeto ...
A encorajar a alma já desistente,
Da existência, e a mendigar AMOR ...

A procura utópica do motivo da inversão dos valores ...
Os “materiais” a ofuscar, a esconder os “imateriais” !
Numa escala incoerente, na qual o Ter é mais que o Ser,
Contrariando a natureza humana da troca, dar e receber.

Uma palavra sincera,
Faria um afago, uma carícia.
Em alguém perdido, confuso, inerte,
Uma simples mostra de afeto ...
A orientar um semelhante descrente,
No regresso de “pedinte” para “doador” ...

E o encontro decepcionante de uma realidade cruel ...
Irreversível e evolutiva, criada pela própria humanidade !
Rumo a um futuro cada vez mais obscuro, a por em risco,
O mais notável atributo do ser humano, amar uns aos outros.

Uma palavra apenas,
Uma simples mostra de afeto ...
São poderes capazes de mudar isso !
Pois mendigar AMOR, é a mais profunda degradação humana ...


Por Alexandre Boechat
Alexandre Boechat
Enviado por Alexandre Boechat em 11/08/2007
Código do texto: T602759
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Alexandre Boechat
Petrópolis - Rio de Janeiro - Brasil, 61 anos
72 textos (5782 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/04/20 08:45)
Alexandre Boechat