Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ÉREBO, O DEUS DA ESCURIDÃO


CAPÍTULO I – O ARCO-ÍRIS ESTÁ DESCOLORIDO

Que gritaria é essa! Você está parecendo uma velha ranzinza!
Olhe para o céu e me diga o que está vendo, Elfa das Flores?!
Não pode ser! O arco-íris está nas cores branco, preto e cinza!
O que aconteceu, fadinha, com o arco-íris e suas vivas cores?!

Não sei! Só sei que não posso deixar o arco-íris feio desse jeito!
Vai fazer o que, Fada Arco-Íris, se não sabe o que aconteceu?
Olhe de novo para o céu, Elfa, tenho certeza de que viu direito!
O arco- Iris descoloriu.  Alguém fez isso, garanto que não fui eu!

O autor da tal brincadeira sem graça, pouco me interessa saber.
Vou voando até o arco-íris e tocá-lo com minha vara de condão.
Assim farei com que o arco-íris volte a ser como antes desde então.

Qual o próximo passo me diga, caso o seu plano certo não der?
Não seja agourenta, Elfa das Flores, tudo terminará bem afinal.
Tocarei o arco-íris com a minha varinha e ele ficará normal.

CAPÍTULO II – ELFA DAS FLORES ESTAVA CERTA

A fada Arco-Íris resolve executar o seu plano imediatamente.
Voa até o céu e toca o arco-íris com a sua varinha de condão.
O que fazer?A amiga Elfa das Flores estava certa, infelizmente.
Toquei várias vezes no maldito arco-íris e nada! Esforço em vão.

E para avacalhar ainda mais, há algo errado com a minha vara.
Ela empreteceu, a luminosidade acabou, assim como sua magia.
Sei não! Tudo isso aconteceu quando toquei naquela coisa rara
Que está no céu e parece com arco-íris e sugou dela toda energia.

O céu está carregado de nuvens cinzentas... não entendo! Esconjuro!
Não há previsão de chuva aqui! O que as nuvens cinzentas fazem no céu?
Outra impressão que estou tendo é que o céu está ficando bastante escuro.

Não é impressão sua, Fada Arco-Íris. O que estamos vendo é verdadeiro!
Grilo falante, por que tanta certeza? Sabe o que ou quem fez esse escarcéu?
Que nada! Só sei que não é uma artimanha de alguma fada, elfo ou feiticeiro.

CAPÍTULO III – A SUSPEITA DE FORÇA MALIGNA

Fada Arco-Íris, Elfa das Flores, é um deus ou deusa que está por trás disso tudo!
Ausência de cores me induz a dizer que seja ele ou ela do mundo noite ou da treva.
Caramba! O que sei é que qualquer deus desse mundo é muito cruel e carrancudo.
Está certa de novo, Elfa das Flores! - falou a fada. Se o contradisser, ele não releva.

Para descobrir o responsável, teremos perguntar a alguém que usa magia para o mal.
Uma bruxa ou bruxo? Um feiticeiro ou uma feiticeira? A quem devemos indagar afinal?
Tenho muito medo de me aproximar de tal criatura! Não tem outro jeito, Grilo Falante?
 Consultar ao Oráculo de Delfos.  Quem sabe lá nós saberemos o nosso passo adiante.

Escute sua amiga Fada Arco-Íris, Grilo Falante! E o caminho mais seguro a seguir.
Mexer com seres malignos é muito arriscado e indesejável. Eles só sabem agir
Com violência, o que é contraditório à nossa filosofia de vida. Está decidido!

Se você, Fada Arco-Íris, está com muito medo de enfrentar os seres que são atrozes,
O que acontecerá se enfrentarmos os deuses que são muito mais perigosos e ferozes?
Grilinho, entenda-me! Não devemos ir atrás do perigo, caso queira, ele é que deve vir.

CAPÍTULO IV – FADA ARCO – ÍRIS TRISTE

No caminho para o oráculo de Delfos, a Fada Arco – Íris cai num pranto sem fim.
Até as vestimentas da Fada perderam colorido e se transformaram numa roupa de luto.
Olhem, a Fada Arco-Íris está parecendo um ser do mundo dos mortos! Parece sim,
Elfa das Flores! Ela está triste, em prantos sem motivo nenhum, em um choro irresoluto.

Grilo, em que você está pensando e por que pediu para encerrarmos a Caminhada?
Já tenho a resposta. Fada Arco-Íris parecendo um morto vivo com tristeza profunda...
Há um deus na mitologia grega que habita as trevas e é o causador desta enrascada.
Ele é o Érebo, um deus primordial, filho do Caos, usa manto de escuridão fecunda

E sem vida para marcar seus territórios que são os vácuos. É de Zeus o pior inimigo.
O manto de Érebo deve ter esbarrado no arco-íris, deixando-o como algo desenxabido.
Por deuses, Elfa das Flores, assim como Fada Arco-Íris, corremos um enorme perigo.

Pode até ser, mas Fada Arco-Íris, Grilo Falante, está pior do que a nossa ruim situação.
Ok, Elfa! Vamos para casa. Fada Arco-Íris inspira cuidados como se tem percebido.
Lá terei mais tranquilidade para criar um plano capaz de conter o deus da escuridão.

CAPÍTULO V – A CRIPTONITA DO DEUS ÉREBO

Consoante à mitologia, Érebo fora derrotado por Zeus e no Tártaro ficou cativo.
Grilo, Zeus eu sei que é o deus supremo da mitologia grega. E Tártaro o que é afinal?
Tártaro é uma região do inferno mitológico grego para onde vão numa batalha final
Os deuses derrotados por Zeus. A derrota se transforma neles um sentimento corrosivo.

Deuses são seres imortais. Somente no Tártaro, aprisionados, é que os deuses vencidos nos deixam em paz e os deuses vencedores também. Elfa, alguma dúvida ainda resta?
Não, mas se a solução é colocarmos o deus Érebo no Tártaro, então estamos perdidos...
Como o deus Zeus, Grilo Falante, conseguiu realizar essa tarefa difícil e tão indigesta?

Querendo libertar os Titãs após a batalha que eles tiveram com Zeus, Hades e Netuno,
Érebo foi sozinho libertá-los. Nix, irmã de Érebo, num momento mais que oportuno
Uniu-se aos deuses olimpianos. Graças ao poder vindo dos três, Érebo foi arremessado

Às águas do rio infernal (rio da morte) Aqueronte. Nesse rio, Érebo ficou debilitado.
Aproveitando da fraqueza do deus das trevas, os três deuses o prenderam no Tártaro,
Agora livre, Érebo, quer vingança, destruição ou outro qualquer sentimento bárbaro.

CAPÍTULO VI – BURACOS NEGROS NO CÉU

Estava cuidando da Fada Arco-Íris quando olho para o céu e olhem o que eu vejo!
Buracos negros... contei quatro, Fada Dourada! Isso mesmo, Grilo Falante! Quatro!
Sem contar Grilo que antes de vir para cá cuidar da Fada Arco-Íris observo com pejo
Um monte de seres do Portal com a mesma tristeza da Fada Arco-Íris; e não é teatro!

Grilo Falante, podem os buracos negros sugar seres ou coisas quiçá o próprio Portal?
Até onde sei não, Elfa, mas como tais buracos é criação de Érebo, não posso garantir.
Como vamos acabar com esse pesadelo, Grilo! Não daremos conta de extirpar esse mal!
Só conosco será tudo em vão. Ele é um deus. Ajuda para outros deuses temos que pedir.

A rainha das fadas, Rhiannon, é na mitologia grega a Perséfone, imperatriz do inferno,
Visto que ela é casada com o deus Hades/ Plutão, que todos nós sabemos quem ele é...
Ela, o marido dela e Zeus serão os nossos aliados para derrotar Érebo e o seu governo.

Se atraíssemos Érebo para o inferno para uma batalha lá, o deus da escuridão não cairia,
Porque ele já caíra nesse truque, não vai cair de novo. Teremos que enfrentá-lo aqui né!
A isca para induzi-lo a uma armadilha será eu, o Grilo Falante... ele jamais suspeitaria.

CAPÍTULO VII – A ISCA

Érebo! Érebo! Peço-lhe que saia do Portal dos Sonhos e Magia. Não o queremos aqui!
Esse local é propício aos personagens do mundo encantado, não é ideal para o senhor!
Quem é o petulante que se dirige a mim? Um deus? Um feiticeiro? Por acaso já o vi?
Os deuses me conhecem como sacerdote Teófilo, amigo do Apolo e Zeus, seu opositor.

Não me faça rir seu inseto insignificante! Não vejo nenhum sacerdote aqui, só um grilo!
Não estou mentindo! Fui zoomorfizado por Zeus... a estória é longa para contar agora.
Zeus transforma você um ser humano num grilo e ainda se diz amigo dele? Que vacilo!
Só uma criatura vil tem amizade com um ser que lhe fizera o mal e mesmo assim ignora

A desgraça que lhe fora imposta? Seja esperto, inteligente e lhe dê o valor merecido!
Una-se a mim e vamos juntos derrotar Zeus e quaisquer deuses lá do monte Olimpo.
Se você não aceitar meu convite não tenho alternativa, por mim você será sucumbido.

Já lhe disse: Zeus e Apolo são meus senhores e amigos; seu pedido ‘tá por mim negado!
Você é burro mesmo! Eu usei foi eufemismo. Idiota assim como você eu mesmo limpo
De qualquer mundo. Já que autossentenciou meu rival, seu óbito fora por mim assinado.

CAPÍTULO VIII– NO FUNDO DO FOSSO

Diga-me: o senhor me matará como? Simplesmente tirando o meu tônus vital?
Não. Quero apenas esmagá-lo com as minhas próprias mãos, seu grilo maldito!
Então o senhor terá que me pegar! Sai o grilo pulando em disparada sem igual.
Você não perde por esperar, seu inseto! Assim que pegá-lo, você estará frito.

O predador (Érebo) e a presa (Grilo Falante) saem desembestados pelo Portal.
Ao pisar numa tampa outrora pisada pelo grilo, Érebo cai num fosso bem fundo.
A vala profunda estava cheia de água. Não era água comum e sim do rio infernal,
O rio Aqueronte, trazido pela deusa Perséfone e o deus Hades, lá do submundo.

As águas do rio da morte enfraquecem o deus das trevas, por mais que ele se debata.
Hades, Perséfone e Zeus recolhem o corpo de Érebo visto que este não mexia mais.
Vamos levar Érebo ao Tártaro. Redobrar segurança do meu lar. Ele não fugirá jamais.

Obrigado deuses por virem ao nosso socorro. Érebo se influenciou pela minha bravata.
Você é inteligente e corajoso, Grilo. Além de demonstrar a nós hoje grande fidelidade.
Érebo queria que você bandeasse para o lado dele, não contava com a sua real lealdade.

CAPÍTULO IX – A VERDADE VINDA DOS DEUSES

Mortais, Érebo sabia que no Portal havia um adepto meu e desse jeito chegar até a mim.
Não queria me enfrentar lá no inferno por causa do Tártaro e do rio da morte Aqueronte.
Trazendo batalha pra cá, Érebo achava que eu estaria sozinho, sendo com isso meu fim.
Dessa vez Érebo foi vencido por um mortal. Quando acordar será para ele um afronte.

Podem ficar tranquilo que tudo voltará ao que era antes quando formos ao nosso lar.
Eu para o Olimpo, Hades e Érebo, inferno e Perséfone fica com marido dela ou aqui.
Grilo! Elfa! A Fada Arco-Íris está curada e seus poderes de volta! Dá para acreditar?
O belo arco-íris está colorido de novo e os buracos negros não estão mais lá. Eu vi!

Acreditamos sim, Fada Sol. Zeus já havia nos antecipado a sua deliciosa notícia.
Elfa das Flores, acabou o pesadelo. O Portal está como era antes... ah! Que delícia!
É isso mesmo Fada Sol. Graças ao Grilo Falante e seus deuses mitológicos amigos.

Vamos tampar o fosso que construímos para que dentro dele não caia mais ninguém.
Isso mesmo, Elfa das flores. Agora ele está sem água, pois os deuses a levaram também.
Depois irei para casa descansar, pois não estou costumado viver com tantos perigos.

O FILHO DA POETISA
Filho da Poetisa
Enviado por Filho da Poetisa em 07/01/2018
Código do texto: T6219821
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Filho da Poetisa
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 57 anos
1009 textos (47866 leituras)
1 e-livros (63 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/09/20 09:00)
Filho da Poetisa