Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ÀS VEZES É PRECISO OLHAR PARA O MUNDO E...!

 
Às vezes precisamos olhar para o céu para saber que lá existe o sol, as estrelas, a lua, as nuvens e que estamos vivos a viver sob ele e com um amontoado de coisas que precisam ser dirimidas para nos trazer alegrias...

Às vezes é preciso olhar para o chão em que caminhamos para percebermos sobre o que pisamos e se não causaremos transtornos para os que estão no mesmo rumo ou que porventura atravessam nossos destinos...

Às vezes é preciso ver tantas coisas para saber que elas são importantes ou até insignificantes... que até os passos somam-se aos outros e nos levam a algum lugar ou até nos aprofundam no precipício que escavamos com as dores existenciais.

Às vezes dizer a alguém que a amamos machuca a garganta, mas é preciso falar porque talvez essa seja a única oportunidade ou mesmo para falar que não a amamos... o que mais importa é falar. Sermos verdadeiros com o coração em chamas ou em calmaria para não queimar ou causar a lentidão daqueles que se acomodam dentro da gente numa eterna letargia.

Às vezes conviver com a dor resultante da saudade risca os olhos causando o pranto... mas chorar também é preciso... quem sabe assim alguém escorre face abaixo e alivia o coração ou confirma-se mais ainda, alojando-se para sempre.

Às vezes o menor gesto, o simples olhar no momento certo é o fundamental para não fenecer o sorriso, para não aniquilar o abraço e não quedar o sonho de uma vida idealizada.

Às vezes somos tão pequenos diante do infinito que fraquejamos e nos pomos a reclamar... às vezes, porque somos humanos e sentimos o toque do coração nos dando mais um dia de vida.

Às vezes ... sempre, sentimos falta de alguém que amamos.

©Balsa Melo
25.08.04
João Pessoa - PB
 
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Enviado por BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO) em 29/08/2007
Código do texto: T628596
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Uberaba - Minas Gerais - Brasil
3010 textos (87929 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 01:00)
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)