Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Conforme o lamento

Ai de ti que me observa
Não sou objeto, sou afeto
Não sou dialeto, sou tradução.

Ai de mim que sem noção
Bebo o remédio sem ler a bula
Evitando ser ilha, mesmo sendo multidão.

Ai de ti que busca respostas
Foi amada? Já amou?
Afirmo-te que sou porto, nunca solidão.

Ai de mim que desarmada
Errei algumas estradas
Em vias de contramão

Ai de ti que me magoando
Nunca notará a luminescência
Que emana do meu coração.
Dora Leal
Enviado por Dora Leal em 06/09/2007
Reeditado em 07/09/2007
Código do texto: T641417

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Dôra Leal). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Dora Leal
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
509 textos (25930 leituras)
1 e-livros (38 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 16:02)
Dora Leal