Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O DIA SILENCIOSO CHORA PELOS MEUS OLHOS!


AMANHECEU O DIA!

O SOL TIMIDAMENTE SE ESCONDE ATRÁS DAS NUVENS QUE SUSPIRAM COM OS PINGOS DE CHUVA NUMA INSISTÊNCIA IMENSURÁVEL PARA NASCER!

O BARULHO DOS CARROS ACORDA O DESERTO DAS RUAS!

O RIO CAUDALOSO SE ENCONTRA COM AS ÁGUAS DO MAR... PARA UNS ELE MORRE, MAS ELE RENASCE E GANHA OUTROS RUMOS, OUTROS ESPAÇOS!

O SILÊNCIO IMPRIME NOS OLHOS UMA ENORME NECESSIDADE DE CENAS PARA NÃO FINDAR COMO AS NUVENS QUE SUSPIRAM GOTAS ...LÁGRIMAS!

O DIA PASSA E COM ELE, TAMBÉM, ESTA SAUDADE QUE CONSTRANGE MEU CORAÇÃO ANUNCIANDO UMA ECLIPSE MESMO COM O NASCIMENTO DO SOL!

©Balsa Melo
26.06.2005
Cabedelo - Paraíba
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Enviado por BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO) em 15/09/2007
Código do texto: T653416
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Uberaba - Minas Gerais - Brasil
3010 textos (87936 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/17 15:54)
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)