Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

VOCÊ É A ÚNICA ESSÊNCIA A PERFUMAR A MINHA VIDA!


Mãos segurando os olhos e pouca coisa sustenta o peso do meu cérebro...

Talvez a sandice de permanecer neste sofrimento impõe-me permanecer neste lugar que aniquila meu coração!...

Talvez o sofrer, dor efêmera, seja o mais habitual nesta prosaica desdita!...

Talvez a falta de possibilidades apresentadas e a cegueira para novas oportunidades tenham massificado tanto esta incerteza!...

Talvez a solidão tenha sido neste grande idílio a minha única companhia e, por assim ser, se alojou, definitivamente, em meu coração!...

Não desisti!

Quero e preciso sentir, todo este amor, convivendo ao lado do nascedouro dos meus versos!

Peço-lhe, apenas, paciência neste começo em que tudo é forma absoluta de pranto, em que a convivência com a ausência de afeto me afetou tanto a ponto de não acreditar tanto nele!

Por isso, chegue sem pressa para não me apressar tanto nesta espantosa ânsia de tomar do seu néctar e, humildemente, peço-lhe que me ajude a reaprender a sorrir, sorrir, chorar de alegria... Viver a vida sem a tez franzindo sempre por desânimo e desamor!

Faça de mim o seu destino, porque você é, há incontáveis dias, a única essência a perfumar os meus sonhos e a minha vida!

©Balsa Melo
28.07.2005
Cabedelo - PB
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Enviado por BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO) em 16/09/2007
Código do texto: T654672
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Uberaba - Minas Gerais - Brasil
3010 textos (87942 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/12/17 14:39)
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)