Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Para manhãs que se prenunciam - Mensagem 2

Informar e confundir se misturam.
Discernir é separar as pedras das conchas.
O sal do mar.
Fundamental é saber separa o entulho que juntamos na mente,
Da centelha de ouro que nos habita.
Varrer os cantos onde estão as velhas crenças, desavenças.
Alimentar a criança e o riso, o que não faleceu.
Dar de beber novo sangue ao nosso coração combalido em medos e saber.
O que sei disso tudo é nada
Diante do possível, ao alcance.
Não, não quero mais sentimentos exatos
E nem roubar o que não me pertence - energias falidas - acumuladas por atração ou por intenção.,
O que não me pertence exalo no suor e nos pesadelos
Absorver só o que é meu
E o que adquirir de alegria e conhecimento
E o que me vem na estrada,
Na manhã clara que se prenuncia em nós.
Célio Pires de Araujo
Enviado por Célio Pires de Araujo em 04/04/2019
Reeditado em 04/04/2019
Código do texto: T6615684
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autoria de Célio Pires de Araujo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Célio Pires de Araujo
São Paulo - São Paulo - Brasil
1304 textos (36515 leituras)
2 e-livros (241 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/07/19 16:31)