Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
VOLTARÁS UM DIA ME PEDINDO PERDÃO! (VENCEDORA DO CONCURSO DE POESIA NO SITE: WWW.USINADELETRAS.COM.BR) 
*************

Confesso-te vencido!


Conclamo meus sonhos para sairmos em retirada!


 Não te propus combate!...


 Com o coração não se briga!


 Não era vencível a minha inocência e nela percebo a derrota!


 Fomos inocentes acreditando em ti!


Quase nada restou!


Fui alvo fácil por acreditar na tua desdita!


 Vivi a tua vida e não fui capaz de viver a minha!


  Os teus olhos miraram meu coração e as revelações que te fiz,

assinaladas aos teus tímpanos no calor dos nossos corpos,

são subterfúgios que utilizas para me culpar!...


E findo sepultando o meu doce amor,

crendo que fui e continuo sendo,

o único desertor!

 

Não te exasperes ao ouvir este suplicante enredo!


 Cada um dá de si somente o que tem para dar!


Não importa se te ofereci demais,

mas compreendo que não soube como te ofertar!


Os nossos tempos eram diferentes e, infelizmente,

restou-nos ocupar, apenas,

espaços comuns... nada mais!


Coisa alguma restituirá as rosas, as flores e os jardins,

mas nesta rastejante queda cujo limite fora o chão - donde se emana e finda a criação - saberei suportar todos os sinais

sofríveis que assinalastes em meu corpo e na minh' alma...

 

e um dia haverás de surgir, por esta mesma porta,

 pedindo-me perdão!

 

©Balsa Melo

17.09.2005

Cabedelo - PB

BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Enviado por BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO) em 21/09/2007
Reeditado em 23/10/2009
Código do texto: T662079
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Uberaba - Minas Gerais - Brasil
3010 textos (87947 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 16:19)
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)