Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Não vivo tudo que escrevo, nem escrevo tudo que vivo! 

ou 

Nem sempre minha vida é tão interessante, romântica e feliz, nem tão trágica, dura e cruel como eu fiz.



Se escrevesse tudo que vivo
E se vivesse tudo que escrevo
Talvez fosse muito mais feliz
Ou talvez já estivesse em trajes mortis

Parem de acreditar
Que o que escrevo é o que estou a experimentar
Parem de se iludir
Pois o papel em branco é só um grande parque
Onde levo minha criatividade para brincar!

Que direito tenho eu
De achar que tudo que vivo precisa ser escrito?
O universo que crio não é o meu
É apenas um universo que dito
Para talvez alertar as pessoas do mundo
Que tudo e nada pode ser jocundo

Minha literatura não é egocêntrica
Não sou tão mau nem tão bom assim
Embora saiba que exista em mim
Uma parcela dos dois requintes dessa métrica

Parem de acreditar
Que o universo que estou a dissertar
É justamente o universo que vivo
Parem de se iludir
Isso me daria da minha obra o desprezo
E faria de mim um mero "escritor"
Sem qualquer ardor
Sem qualquer leveza nem peso
E apenas feito de amores
Ou de rancores coezos

Um escritor
Vai muito além do seu mundo
Vai, na vida, no lugar mais profundo
De maneira leve ou eletrizada
O que importa é que nunca não diga nada

E se deveras algo do seu ser
Ele acha que merece ser posto
Que seja feito de bom gosto
De modo que não entendam
Se ele ou os seus calafeus
É que sentem tanto amor
Ou tanta dor
Como ditam os versos seus

Que seja colocado
Menos como desabafo
Mas como algo que o mundo mereça ver
Para que possa ou não crer
Que existe saída ou mudança
Segundo o tema que deixa de herança

Parem de acreditar que tudo que faço
É um desabafo sobre minhas cordas e sobre o meu laço
Parem de se iludir
Pois nem sempre minha vida é tão interessante, romântica e feliz
Nem tão  trágica, dura e cruel como eu fiz.

Não sou toda a dor que tanto falo
Nem sou todo o amor que exalo
Não sou experimentalista nem julgador 
Só sou  disso tudo um mero escritor
Blog Dois Pernods
Enviado por Blog Dois Pernods em 23/09/2007
Reeditado em 23/09/2007
Código do texto: T664616

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Blog Dois Pernods
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 38 anos
166 textos (22776 leituras)
7 áudios (3441 audições)
7 e-livros (338 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/12/17 02:05)
Blog Dois Pernods