Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
O PARDAL


Esse ser que é tão pequenino,
no qual ninguém vê nenhum mal,
se aproxima de nós com carinho,
com aquele trejeito doce e cordial.

Nós nunca lhe damos importância.
Como os outros, ele não sabe cantar
e assim é que movidos pela ânsia
e pelo desejo de o mundo abraçar,
ao descansar nós só ouvimos o sabiá,
o canário, o rouxinol e até o colibri.
Mas o fiel pardal está sempre lá.
Um companheiro assim nunca vi.

Até na hora mais horripilante,
como se quisesse ser um defensor,
ele está sempre, firme e presente,
como representante do Criador !
SP. 03/10/07
Fernando Alberto Salinas Couto
Fernando Alberto Couto
Enviado por Fernando Alberto Couto em 03/10/2007
Reeditado em 02/02/2009
Código do texto: T679199
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Fernando Alberto Couto
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 66 anos
1228 textos (56270 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 06:54)
Fernando Alberto Couto