Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CALOR INFERNAL - soneto



Não me ventou nem a brisa noturna,
Nada de sopros ou livres folias.
Baforejando da boca soturna,
Somente o breu dessa triste heresia.

Em pesadelos de versos confusos,
Recita a dor em sonetos doentes,
Tua figura em contornos intrusos,
Deitada à sombra de rima indolente.

Arcanjo negro, das trevas vigia,
Macabro amor, satânica elegia,
Dominação do meu corpo pagão.

Entrego a ti, sem escolha ou vontade,
Correndo o risco de arder de verdade,
Minh'alma branca em teu leito - paixão!

***************
Lílian Maial
Enviado por Lílian Maial em 07/11/2005
Código do texto: T68273


Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Lílian Maial
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1236 textos (274685 leituras)
21 áudios (14075 audições)
3 e-livros (1604 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/11/20 11:40)
Lílian Maial

Site do Escritor