Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A LÁGRIMA LOUCA

Uma lágrima parou
no meio do caminho,
vacilou
e achou seu cantinho.
Secou
num xale de linho
evaneceu e morreu.
Outra, mais inquieta,
escorregou pela seta
e quedou-se entre meus seios,
dormitando no entremeio
de um vale entre dois montes,
aguardando a tua fonte
A fonte
que nasce em tua boca
e sorve a lágrima louca,
que mistura-se a outras águas,
águas de antigas mágoas,
águas de nova onda,
onde te espero na ronda
de nunca visto prazer,
bocas a percorrer
chão de textura sinuosa
em doce umidade gostosa.
E só tu vais saber
que, afinal,
a medida final
da explosão do prazer,
são dois dedinhos dos teus
na mira de três dedos meus.
Vou medir a tua alma
nas linhas da tua palma.
E, sem mais lero- lero,
paremos de dizer,
aqui...
em um beijo de bolero,
onde a dança do desejo
toma a forma do tua boca.
Viajo-me em em teu beijo
e, sorvo em ti ...
a minha lágrima louca!

Elane Tomich
Enviado por Elane Tomich em 08/11/2005
Código do texto: T68721
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre a autora
Elane Tomich
Teófilo Otoni - Minas Gerais - Brasil
319 textos (12870 leituras)
1 e-livros (128 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/08/20 02:55)
Elane Tomich