Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SOLIDÃO

Solidão é abrir a janela e pegar rabeira na estrela bela
E sair voando até onde e quando o sono deixá-lo dormir...

Acordar e sair e não ter acordado e nem ter saído
E ficar como que partido movendo-se sem ter ido...

Beber e não matar a sede de nenhum de seus súditos
E sentir-se inteligente sem saber quem é o estúpido...

Solidão é rodar o sarilho do poço que guarda milhões de diamantes
E não alcançar um único brilho que devora o escuro do instante...

Criar e recriar e depois de observar o que recriado da cria se criou
Ver-se posto diante do futuro e não alcançá-lo por ter as mãos do seu avô...

Solidão é erguer um brinde e rir com um a um dos seus inúmeros convidados
E ao abrir os olhos é reparar que se está só por não ter sido por nenhum reparado.
Preto Moreno
Enviado por Preto Moreno em 11/10/2007
Código do texto: T689719

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Orivaldo Grandizoli). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Preto Moreno
São José do Rio Preto - São Paulo - Brasil
7522 textos (108225 leituras)
19 áudios (162 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/17 00:39)