Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MINHA POESIA TEM TANTO MEDO

Minha poesia tem tanto medo



Minha poesia tem tanto medo
Que às vezes chegar a guerrear
Com palavras que teima em afrontar
Esse branco papel.

Linha de frente: pensamentos.
Tanto são os confortos,
Campo minado,
Nos conjugados.

Cadê aquela palavra forte...
Aquele verbo grosso...
O estouro da concordância no plural...
Abaixe as regras, General!

Aquela coisa de fim de frase.
Talvez uma crase nos barre.
Na perfeita pronomia,
Quem diria.
Severino Filho
Enviado por Severino Filho em 17/10/2007
Código do texto: T697497

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Severino Filho
Salgadinho - Pernambuco - Brasil, 41 anos
285 textos (16704 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 10:05)
Severino Filho