Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto









Vem






Noite silenciosa, convite para um sono.
Os pincéis da imaginação querem descansar
a vida real é adulta.

Sobre a mesa um vaso transparente,
deixando envergonhado o caule do girassol
deslocado... Ali não é o seu lugar.
Queria juntar-se aos outros lá fora.

A vida não quer enfeite, avança,
desmotivando as fantasias, insisto em discordar.

Feito a folha que não larga do galho, não pensa 
nem quer o outono...
Folha de inverno, resiste aos ventos.
Também os dedos resistem aos pensamentos,
não deixam as letras escapar.
Como descrever, quando a alma não quer falar.

Banhados pela brisa da noite, exalando seu cheiro;
Os bugaris embaixo do velho coqueiro
envergando, sobe e desce,
acostumado com as tempestades,
vai se embalando no arranhar  das palhas secas
num movimento preguiçoso, contínuo à janela.
Não tira o sono de quem vai se entregar.

                                                  Um pouco mais...

Lança um olhar penoso direto ao girassol,
sobre a toalha branca, pobrezinho, desolado,
queria sol do amanhã, lhe foi negado.

Enquanto o tempo
brinca com a alma que em silêncio
desenha dentro de si, o jeito amoroso, desejando
para com alguém sonhar, ao contrário
daquele triste girassol, o seu pedido não será
negado. Ele sempre vem, no sonho, na realidade
também.
Liduina do Nascimento
Enviado por Liduina do Nascimento em 13/01/2021
Código do texto: T7159183
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Sobre a autora
Liduina do Nascimento
Fortaleza - Ceará - Brasil
2801 textos (84774 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/01/21 19:28)
Liduina do Nascimento

Site do Escritor