O início das ilusões

Viemos dar-lhes a salvação

Foi o que nos disseram, enquanto acorrentados

Andavam de lá para cá, trazendo minha gente de todo lugar

Nos olhava com desdenho dizendo

Filhos imêmores viemos ao chamado inconsolável do pai

Adorem, glorifiquem os vassalos do criador

Quem é aquele que os chama de súditos e ao mesmo tempo de filhos

Entre o som do andar das correntes gritos e múrmuros se tornam frequentes

Com o parar do balançar, sombras e corpos se amontoam nos muros, enquanto olhares

Nos rodeiam somos apalpados e dedos são levantados

Cego pela minha raiva, sou levado sem compreender, a uma morada branca mais um lugar a padecer, mas hei de perdurar para ver além desses grilhões um lugar a se viver

Yuri Cabral
Enviado por Yuri Cabral em 21/07/2021
Código do texto: T7303935
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.