A visão do desiludido

Na manhã das revoluções, das ruas artificiais

Sem provar nada, te vejo como um deus

A verdade oculta de uma rua deslumbrante e observada pelo cubo brilhante, refletindo o mundo nunca visto

A prova de que você estava vivo como eu no último dia

Peque, rasque e queime depois de rezar

Curvando-se em uma estrada sinuosa

Seque suas lágrimas e cerre os dentes e mastigue o mundo em suas cicatrizes

A cor que escorre da minha mente e o mundo vazio de inúmeras mãos Sobrevivendo na visão do paraíso inacabado, a árvore morta desperta mais um olho

Vendo a sombra me encarar, respiro com um corpo tortuoso

Antes que eu seja engolido divida o mundo por zero, zumbindo músicas Roucas e barulhentas

No meio do nada há um bote de resgate parado,

Lá o significado e a razão não estão,

Aplaudindo em direção ao nada, alguém me disse por trás

Da cena flutuante de esperanças sombrias “Abandone o mundo caído”

Reze para que sejamos reais, sorria e mostre para mim

Yuri Cabral
Enviado por Yuri Cabral em 27/07/2021
Código do texto: T7308708
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.