Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

E CONTINUA ANDANDO...

Um vulto no escuro pede proteção, corre desesperado para dentro de si mesmo na calçada extensa da vida.
Exala a voz, que cria motivos, a alma sangra e escorre.
Nada mais estanca, a dor da sombra é escura .

Mas quando ressurge, surge  crescente, consistente como uma pilastra grega
Escarra nos pés dos seus senhores, chefes, comandantes supremos.
E anda sem destino pela calçada onde pisam as crianças descalças.

Saúda os vencidos, beija os maltratados e abraça os renegados
Bebe do malte, toma do chá, come da carne...
E continua andando sem destino, como um andarilho sem rumos.

Solta a voz, grita como um vendedor de artigos importados.
Dança com os lobos nas savanas, respira como os tuaregues no deserto.

E continua andando sem destino em  planaltos, asfaltos, avenidas
Em terras distantes segue os amantes, banha-se nos rios perenes
Toca as sirenes..

Invade a casa dos magnatas come um pedaço de queijo e goiabada
Bebe água da fonte, defeca atrás dos montes e arrota na cara dos monges..

Agora já quer voar....
Sobe pelas turbinas, pede pra fechar as cortinas ..
Toma um drink, admira a aeromoça, e quando pula de para quedas cai na poça...

E continua andando  sem destino, dorme no relento, acha um acalento
Toca um instrumento que retumba, visita a catacumba.

Agora já quer nadar...
Afana um caiaque, desce a corredeira, perde a estribeira
E rola de braçadas...

Visita o asilo, sente o brilho
Conversa em alemão com o velho “Riesel”
Troca moedas em óleo diesel.

Agora já quer dirigir...
Enche o tanque, assume o volante
Paisagens alteradas pela janela, da carona a moça banguela...
Compra uma dentadura, presenteia a criatura
Esquece a amargura...

Agora já quer fumar....
Junta-se aos hippies cura ate a gripe
Estende o pano, exibe os feitos, dá mais um trago
Balança a cabeça e enche o peito, vende os artefatos
Lembra-se dos fatos, e ri da desgraça...


Tira leite das vacas, usa chapéu de couro
Corre do touro, pega lenha pro fogão
Usa botas e esporão...

E continua andando...











Rommyr Fonttoura
Enviado por Rommyr Fonttoura em 13/11/2007
Reeditado em 13/11/2007
Código do texto: T735361
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rommyr Fonttoura
Mariana - Minas Gerais - Brasil
265 textos (9911 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 00:56)
Rommyr Fonttoura