Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O que me flutua

Não é assim tão tarde.
As roseiras já confabulam,
os espinhos esperam o alarde,
e as gotas de orvalho murmuram.
Não é tanto pela sombra
que na orelha ostento um só brinco.
"Por que uma?"
Respondo a seguir: "Aguarde".
Não me vejo em duplas distintas
Sou o meio do lado esquerdo
e o avesso do dente canino.
Pulsando, trituro e engulo.
No lado direito sou honra
assumo, assino, cumpro.
Centrando, aqueço desejo
acolho, desfaço, concluo.
Horizontalmente sou vertical
não me permito nódoa mental
saio à luta, carrego bandeiras
ensabôo, lavo, enxugo.
Ouço sons paralelos à noite
danço-os em suaves baladas
enluaro o céu de minha boca
transpiro só madrugada.
"Por que só uma?"
Porque uma e tão somente uma
é a face que me modela.
Nessa imagem do espelho
que reflete a minha íris
leio minha própria pauta.
No rascunho da minha vida
rabisco minha própria arte.
Dora Leal
Enviado por Dora Leal em 20/11/2007
Código do texto: T744500

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Dôra Leal). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Dora Leal
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
509 textos (25930 leituras)
1 e-livros (38 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/12/17 19:29)
Dora Leal