Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema de janela

Décimo primeiro, a cidade de noite
Solidão são carros dizendo horizonte
Uma mosca e os sinais acendendo que nem dominó
Sono, um tanto, nem tanto, tampouco quero dormir
Com o vento que faz aqui, não podia trazer algo novo?

Além de poema de janela, sem novidades da vida que vem.
Daniel Weinmann
Enviado por Daniel Weinmann em 07/12/2007
Código do texto: T768150

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o http://theguitarman.blogspot.com/). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Daniel Weinmann
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 35 anos
65 textos (522 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/17 19:47)
Daniel Weinmann