Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Do luto eterno



 

 

Nada se abre,

parece tudo opaco

e fechado.

 

Parece tudo noite,

Das noites brancas sem luz,

Como o sonho fosse pedra.

 

O não haver é água,

Um mar indefinido

E frio.

 

Mas há melodia,

Uma melopeia de dores,

Que encanta a vida,

Desaba-se.

 

Só a memória arde

Na saudade,

E sobe-se o íngreme da felicidade,

Como um monte sem cume.

Constantino Mendes Alves
Enviado por Constantino Mendes Alves em 28/12/2007
Código do texto: T794705
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Constantino Mendes Alves
Portugal
324 textos (3851 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/19 13:37)
Constantino Mendes Alves