Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Brotinho

Tema

É o projecto de árvore que está no broto. É o caso particular que traduz a lógica de um mundo inteiro. Ou o inesperado que só não se esperava porque não se olhou com a devida atenção."
(Pereira Jr, Luiz Costa. O Menor amor do Mundo"



                                                                                         
                        Inesperadamente, brotinho arrebita.
                        Pedacinho de terra, abriu sua porta.
                        E serena sabe que está na sua hora.
                           E uma coisinha tão pequenina,
                              desperta para o mundo.
                        Brotinho sacode, aquela sujeira.
                    Está tão espantado? olha à sua volta.
                Depois mais concentrado com mais sentido
                         E já libertado de tanta emoção.
                            Solto de alegria, ri festivo
                      Pois é a notícia, daquele alegrete.
                A grande novidade, que primeiro germinou.
                      que vê como tudo,  é tão diferente.
                      e sente saudades  da terra quente .
                      Do colinho onde estava tão oculto
                          Meio adormecido e disfarçado
                  Que coisas estranhas, ele vê de repente.
                       Figuras diversas, e tão dispersas .
                                  Vê uma luzinha.
                   como é bonita…   e aquece  a gente.
                          E a chã que lhe deu vida
                       Que no seu peito o agasalhou
                          Olha-o com meiguice.
                    Aquele brotinho que saiu sozinho.
                        e que já esta tão aprumado,
                                e bem arrebitado.
                       Está a crescer a olhos de ver.
                   Já não é grelinho, está a modificar-se.
                           Está a engrandecer...a crescer
                     E brotinho ri, feliz e contente.
                  Olha de repente. Que vê, minha gente…
                     Uma coisinha, a sair de si.
                    Do seu corpinho, ainda franzino,
               ainda fraquinho, e mais outra e a outra?
                   e desconfiando, olha para elas.
                        Ah mas são folhinhas!
               Como são macias, alegres vistosas,
               e vai comentando  um pouco arreliado.
            Mas. estavam escondidas estas coisinhas?
                que são irritantes, estão a incomodar
                  a minha visão,  quero tudo avistar.
              Oh  lá meninas, afastem-se um pouco.
                 Tapam-me todo, que  ate sufoco!
                  A minha cabeça, esta a avultar.
                 Quero um espelho, para me mirar.
             Ah mas de  risota, folhinhas cantavam.
             Já afadigadas, a sacudirem as orvalhadas.
                 Que as molhavam, as refrescavam.
            Sabes tu quem és? Perguntaram emproadas.
                            Donas doutoradas ...
              De tão sabichonas e já respondonas.
              E segredavam, umas para as outras
             Eram os cochichos que as recreavam
            Brotinho dizia: Parecem umas tontas…
            e para elas olhava, com algum despeito.
             Vê-se pelo jeito, que são meninas...
             E uma mais espevitada, veio-lhe segredar..
             És uma flor!  e fazemos parte da tua vida
               e o teu nome rima,sempre  com amor.
                 E como és bonito e corpo perfeito.
             diz - nos lá  então ? Assim com teu jeito,
                   meio contrafeito. verdade se diga.
                         Como te chamas?
           E inesperadamente, brotinho que é esperto.
                       Exclama de contente.
              É que de repente  vem-lhe à mente.
                o primeiro nome que ouvira chamar
                    quando brotou da terra mãe
                          Há mas eu já sei!
                        Sou um amor-perfeito
 
 
                                   De tetita

                                02 -09-07
Tetita
Enviado por Tetita em 02/10/2007
Código do texto: T677013

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tetita
Setúbal - Setúbal - Portugal
1397 textos (81098 leituras)
65 e-livros (5632 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/12/17 04:08)
Tetita