Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

OLHINHOS TRISTES DE UMA MUSA.


Teus olhinhos tristes, acompanharam minha partida,
entristecida,
esperando minha volta como no sonho esquecido;
sonho de um rapaz mal vivido.

O teu pranto ruiu o meu pobre coração,
caindo no chão,
sonhos de pedra sabão.

Tentei ser mais forte,
mas meu gosto pelo não beijar,
falou como em versos avulsos,
deixando lágrimas rolar.

E olhei o teu rosto,
e sorri como fosse um menimo,
prometendo pra ti uma volta,
que me importa...
se é você que quero ver abrindo minha porta!


Beijos minha musa,
nunca lhe esquecerei!!

POETA DA DOR

********

"Pesquei" a homenagem do Poeta da Dor, para minha escrivaninha, na tentativa de tê-lo mais perto. 
Abaixo a transcrição do agradecimento que deixei lá em sua escrivaninha:


18/09/2007 23h54 - Claraluna
Amado Poeta da Dor, Antenor Elcio, obrigada por esta linda homenagem que eu guardarei como um relicário. Como médico, conheces a anatomia do meu coração, escolhestes o melhor de mim para fazer tua morada, teu lugar de repouso e sonhos não realizados. Tu és um hóspede querido, cuja ausência causará um vazio desumano. A tua dor é a minha dor, poeta. Pensa-me. Eu ti pensarei sempre.Beijos apenas imaginados,
Hull de La Fuente
Enviado por Hull de La Fuente em 22/09/2007
Reeditado em 22/09/2007
Código do texto: T663879
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Hull de La Fuente
Brasília - Distrito Federal - Brasil
2667 textos (400174 leituras)
2 e-livros (184 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/12/17 05:18)
Hull de La Fuente