Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Livia

Foi assim que de repente apareceu
Como quem não liga muito
Como quem apenas vive.
Conversávamos assim, de forma simples
Ríamos simplesmente, sem motivo
E imaginávamos. Ah, como imaginávamos!
E te imaginava às vezes, mas sempre
Pareceu-me tão distante, tão somente sua.

Isso, amiga, não pertences à ninguém
Nem do mundo és, nem dos anjos
Nem da vida. És inevitavelmente de si mesma.
Como o sol, que nasce no além
Que nos ilumina sem saber e sem querer
Que nunca ousa, apenas flutua
E de tão perto, nos sentimos queimar
À sua presença, e assim permanece solitária.

Talvez eu seja o único que enxerga
Detrás desses olhos castanhos
A tristeza que carregas, tão sozinha
A tristeza que não é de ninguém
Que é tua, somente tua
E você é dela, sim
Você é de sua tristeza
E nela, afoga-se, com um sorriso
De quem voa acima do firmamento
E cai no abismo sem temer o fim.
Daniel Cavalcanti
Enviado por Daniel Cavalcanti em 24/11/2007
Código do texto: T749991

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Daniel Cavalcanti
Teresópolis - Rio de Janeiro - Brasil, 31 anos
125 textos (3495 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/17 09:21)
Daniel Cavalcanti