Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ontem eu corri de novo...

Ontem eu corri de novo...
Mas não valeu a pena
Ou terá valido?

Talvez amanhã, talvez depois
Quando tudo estiver mais claro
Talvez segunda, terça ou quarta-feira

Mas e o imediato?
Aquilo que me dissolve a alma
Aquilo que me faz viver 360 graus
Em um segundo?

Como consolar o imediato
Como dizer a ele que ontem não é hoje
Que hoje não será amanhã
Que na terá amanhã
Que não foi feito para amanhã?
Como consolar o imediato?
 
Não!
Foi!
E as folhas se foram
Por correntes distintas
Pra lugares distantes

Por outros caminhos

Folhas não sonham
Não traçam caminhos
Não dizem adeus

Folhas são folhas
Verdes ou secas
No ar ou no chão
Simplesmente folhas

Eu corri na Anchieta
E estava chovendo
Em busca da folha
E a folha se foi

E a primavera? Fim de estação
O verão está ai
E o imediato aqui
Cobrando, pedindo, querendo razão
E o imediato sobe e desce
Dentro do peito
E não entende as razões
E quer um expresso
No bar da Estação!

Assim é o imediato
Assim são as folhas soltas ao vento...
Fátima Batista
Enviado por Fátima Batista em 14/02/2006
Reeditado em 02/12/2007
Código do texto: T111591
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Fátima Batista
Santo André - São Paulo - Brasil, 57 anos
1448 textos (76664 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 01/10/20 16:14)
Fátima Batista

Site do Escritor