Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pelos campos da vida afora

Eis naquela fazenda, numa noite quente e estrelada
Ela abriu toda, a pesada e velha porteira
Com esforço pois estava cansada,
Mas ainda assim, bem faceira
Deixou sair em disparada
Seu cavalo favorito.

Em liberdade disparou o belo animal a galope noite afora,
Em parte alegre, em parte arisco, em parte louco
Sem cansar-se, na carreira até a aurora
Galopou, e não foi pouco,
Mas sozinho estava agora,
Galopou, trotou, parou.

E ela, lá da fazenda a se perguntar por quais caminhos iria,
Cavalo tão bonito, mas tão cheio de vontades
Por onde o indomável andaria?
Por campos, por cidades?
Serena, ela esperava.

Pelas sendas e tormentas por onde andaram seus cascos
Encontrou ele a paz, encontrou ele a guerra
Quiseram possui-lo carrascos e menestréis
Mas nenhum vivente nessa terra
Chegava sequer a seus pés.

De prados em prados ele vagou, campina após campina
Às vezes achava ora bom pasto, ora água boa
Mas nunca se agradava, era sua sina
Em seu incerto e penoso andar à toa
Em sua busca que não termina.

Outras vezes, parava em alguma cidade de simpática acolhida
Mas encontrava vicissitudes, e pessoas ruins
Pensava que aquilo não era uma boa vida
Que as coisas boas não eram assim
E no galope dava sua partida.

Na fazenda, ela às vezes sonhava com o som de galope na noite
Na verdade, era somente o eco de suas lembranças
A saudade do que almejava viver, o açoite
E as rédeas, de seus cabelos as tranças.

E ela esperava, porteira aberta, o retorno do belo animal
E na distância, a chuva anunciada em sonoro trovão
Rezava ela: "Volte logo ao meu peito, afinal
Esse cavalo, que chamo de Meu Coração".
Odemilson Louzada Junior
Enviado por Odemilson Louzada Junior em 29/03/2010
Reeditado em 29/03/2010
Código do texto: T2165931
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Odemilson Louzada Junior
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 45 anos
299 textos (14057 leituras)
1 áudios (33 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/11/19 18:18)
Odemilson Louzada Junior