Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sons que Confortam

Cada vez que meu coração se feria
E eu tinha de colocá-lo em repouso,
Era esse som que eu às vezes ouvia
Que me trazia um sono gostoso,

A chuva fina a cair gentilmente lá fora,
Nas pedras duras e na grama molhada
Garantindo meu sono até surgir a aurora
Mesmo que cinzenta fosse a alvorada.

Todas as vezes que a atenção era pouca,
E eu precisava descansar minha mente,
Ouvia o cantar do pássaro e sua voz rouca,
E me sentia melhor em ouvir, simplesmente.

Sempre que meu caminho parecia incerto,
E os problemas eram minha única companhia
Eu agradecia por ter outra voz por perto,
E o tamanho dos problemas, diminuía.

Cada vez que minha vida se fechava,
E em torno de mim barreiras se erguiam,
Mesmo, longe tua voz eu escutava
E mesmo que poucas, portas se abriam.

E por elas eu escapava, fugia, lutava.
Por elas eu passava, para levar a vida,
Para viver assim, de ouvido
De som em som, sem escala,
Sem nota, sem partitura:
Apenas meu queixo erguido,
A minha economia rala,
Essa vida aí tão dura,
E os cheiros que ela exala.

E o meu bem-querer protegido,
Pelo belo som da tua fala,
Que me conforta o ouvido,
Que me faz à prova de bala.
Odemilson Louzada Junior
Enviado por Odemilson Louzada Junior em 27/06/2010
Reeditado em 27/06/2010
Código do texto: T2344554
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Odemilson Louzada Junior
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 45 anos
299 textos (14057 leituras)
1 áudios (33 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/11/19 04:42)
Odemilson Louzada Junior