Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A imagem que ficou de ti

A imagem que ficou de ti
ficou.
Bela, grata e grande,
irrepreensível arte dos sentimentos,
prima obra passional,
discreta e teimosa,
religiosamente esculpida
num canto insuspeitável de mim
onde tempos não passam,
vivências não apagam.

E, quando há mais frio na vida,
ainda és lareira ardendo,
brilho nos olhos,
sussurro que faz sorrir.

No sensabor das coisas,
tu és a essência,
ainda és infante,
e eu menina.

Mesmo que os olhos
vejam outras paisagens,
ainda és aquela selva,
caminho a subir e a descer;
ponte na curva,
cheiro daquela terra,
e o verde dos meus olhos
no espanto lindo dos teus.

No silêncio,
teus braços ainda são o abraço
abraçado e desejado,
flash sensacional
que não foi nunca mais.

A imagem que ficou de ti,
Talvez porque ficou bela,
Irrepreensível,
Prima obra de arte passional,
Ainda é fogo de lareira,
Ainda é um canto de mim
Onde tempos não passam,
Vivências não apagam.
Anabela Bingre de Négrier
Enviado por Anabela Bingre de Négrier em 26/05/2011
Código do texto: T2994208

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Anabela Bingre de Négrier
Ponta Porã - Mato Grosso do Sul - Brasil
18 textos (1703 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/19 04:47)
Anabela Bingre de Négrier