A PRIMEIRA VEZ

A primeira vez

que vi o homem em ti

meus olhos eram de medo.

A primeira vez

que senti os teus lábios

os meus eram puro desejo.

A primeira vez

do teu corpo dissolvido no meu

foi-se inteiro o medo

e dissolveu-se no desejo.

Embora o medo

insistisse em voltar

nas asas do arremedo

de algum bom senso,

o desejo aliou-se ao amor

que cedo, muito cedo

já tinha virado flor

no deserto da minha dor.

A primeira vez

de qualquer coisa

entre você e eu

foi sempre tão bonita,

tão completa, tão perfeita

e tão bons ficamos nisto

que agora cada vez

continua sendo primeira.

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 03/07/2005
Código do texto: T30772
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.