Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Varanda


Varanda...
Ou um lugar qualquer para amar
Pele,
Química
Os sonhos de um par
Podem ou  não
vingarem em um segundo?
Bastará um olhar e pronto
E não só na feminilidade
Mas da masculinidade também
Tudo pode acontecer.
Querer, amar e gostar
Neste momento único se separam
Ganham notoriedade
Querer será desejar
Amar tanto faz
 fraternal
ou emocional
homem/mulher
ou o reverso
sempre será amor
E desejar...depois gostar
E se não?
Ah...Ai é que esta a questão
Desejar por desejo simplesmente
Desejar por cumplicidade física
Desejar por química de pele
Ou pela amplitude da alma
Eis o perigo
Um sonho
Um ideal
E tudo pode ir por água abaixo
Pode virar saudade
Pode virar engano.
Mas tem outro jeito?
Não tem...
É por isto que o “virtual”
 Costuma ser um engano.
Ser danoso em vez de materializar
De sensibilizar
De criar emoções duradouras.
A maioria das pessoas se perde
No emaranhado de promessas
 E  falsas descrições
Acham que são os maiorais
Dizem fazer e acontecer
Donos de metade do mundo
 ou dele inteiro
Sábios maiores que Einstein.
Mais fascinante que Jesus Cristo,
Mais corretos que minha mãe
                                                 E amantes que Giácomo Casanova
Ou Maria Antonieta...
No fundo não passam de enganos
Poucos se salvam.
Pessoas percorrem metade  de estradas que sonharam
Em uma viagem esperança
Ou aguardam com a mesma ânsia o chegado da bonança
E eis  quando em um segundo,
Em um olhar,
Em um toque
Descobrem
Que  não existem sonhos a realizar
Que tudo não passou de uma miragem
E deixam suas vidas perpetuarem a solidão!

   A quem possa interessar...Esta poesia não se aplica a nós os Poetas por termos uma forma prática de saber amar, mas mostra-nos que nem sempre podemos confiar em tudo. Neste Ano novo que se aproxima mais que uma esperança se faz necessário que tenhamos os pés no chão e que saibamos nos orientarmos com sabedoria emocional. A poesia em si nos diz  dos enganos e perigos ao procurarmos ansiosamente  sairmos da solidão. Saiba; deverão sempre prevalecer os cuidados que temos com os outros sentidos em nossa vida e de cuidarmos sempre para que não venhamos a sofrer  uma tristeza inútil. Sempre será preciso termos consciência dos riscos tanto faz em nossa rotina emocional cotidiana e ao vivo  ou mesmo virtualmente.

Que tenham um Ano Novo cheio de esperanças realizadas.
31/12/2006

Marcondes Filho.
O Colecionador das Palavras
Enviado por O Colecionador das Palavras em 22/01/2007
Código do texto: T355236


Comentários

Sobre o autor
O Colecionador das Palavras
Araxá - Minas Gerais - Brasil, 79 anos
21 textos (1242 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 27/09/20 18:04)
O Colecionador das Palavras