Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Um ser querubim

Somente estás disponível para mim,
isto é, comigo tu te importas,
agora que as ruas de tua cidade jaz mortas;
 
instante em que reclusa te lembras de mim
e com virtual displicência entras em órbita
à caça de minha figura torta;
 
ainda assim meio indisposta,
como se eu estivesse à sua volta,
como se eu fosse um ser querubim.
 
Mal sabes tu que o ramance,
feito lavoura em terras arenosas,
tal plantio de delicadas rosas,
carece de seiva e afeto abundante.
 
Corres para meus braços e te dizes liberta,
agora que estás sem companhia para as festas,
agora que feneceram as flores de teu jardim.
 
Teus ares de abelha-rainha saíram de moda,
agora que troquei a chave de minha porta,
agora que perdi a auréola de querubim.
 
Mal sabes tu que até a eternidade
tem um marco inicial de finitude
e que é em cada fração de atitude
que reside o ar renovável da felicidade.
Cid Rodrigues Rubelita
Enviado por Cid Rodrigues Rubelita em 23/09/2012
Código do texto: T3896364
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cid Rodrigues Rubelita
Curitiba - Paraná - Brasil
147 textos (4947 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/19 04:32)