Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CÂNTICO DA SAUDADE


 À memória do meu pai.
Ah! Meu pai! Quantas saudades deixaste!
A tristeza ocupou espaço em meu coração,
Foste amigo, companheiro, por que partiste?
Ausência pérfida que sufoca, pura emoção!

Lembro-me pai, quando à mesa sentavas,
Momentos inusitados de vera descontração,
Nos teus projetos de vida sempre falavas,
Ah! Destino cruel! Vis punhais da traição!

Hoje, quando no quarto te vejo em retrato,
Sinto n'alma a visita da merencória solidão,
Felicidade fêz de mim o inoportuno distrato,
Deixando-me queixumes por esta escuridão.

Patrono geneanológico da minha existência,
Arquétipo de vida neste orbe em perfeição,
Declinavas o amor com sutil eloqüência,
Ao filho primogênito com régia adoração.

Calaste a voz, mas de tua morada te oiço,
A cada momento, em luzente recordação,
Nas tuas dores edifiquei o meu arcaboiço,
Quando te encontro no recitar da oração.

Um dia pai, no éter, eu vou-te encontrar,
Sob o auspício da realengo reencarnação,
Nossas almas, eternamente, hão de viajar,
No divino seio do grande profeta Abraão.


Rivadávia Leite
Enviado por Rivadávia Leite em 12/03/2007
Código do texto: T409727

Comentários

Sobre o autor
Rivadávia Leite
Vila Velha - Espírito Santo - Brasil
222 textos (4655 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/09/21 01:35)
Rivadávia Leite