Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TANTO FAZ

Me sinto sem dono, sem terra, sem chão,
Sem oxigêneo, sem eira nem beira,
Sem forças, sem vida, sem corpo, sem cheiro,
Sem pele, sem dias, sem eras, sem tempo!

Me sinto assim, disponível, sem dono.
Me sinto vazia, porém esperando...
Quem sabe eu encontro quem estou procurando,
No trânsito, na rua, na vizinhança...?

Aliás, não importa se não encontrar;
Não sei se vale à pena recomeçar...
Já não tenho esperanças de nova vida;
Porém, quem sabe poderia tentar?

Sentir-me desejada, querida, valorizada..
... Que não fosse apenas assim..
Acho que essa vida é só minha e nada,
Me interessa que seja por mim!

Portanto, não aposto em nada enfim.
Não acredito que alcance alguma coisa;
Não vim para receber, só para conceber,
Não vim para ter, só para dar!

Por isso, não quero nada.
Quero apenas apagar-me,
Diluir-me, evaporar-me, desaparecer.
Por que afinal, teria vindo para cá?
É como se tivesse vindo por engano,
Por descuido, sem querer, caí aqui,
E agora não sei como voltar!

Corro contra o tempo, e só quero deitar-me.
Convivo com a loucura, e só quero livrar-me.
Porém dois elos me prendem aqui.
O que faço, se não suporto a espera?
Se faço a contagem regressiva,
Enquanto o tempo só corre adiante?

De repente, fazer parte de outra vida,
Ter outro nome, outro dono, outra sina...
Algo com mais nexo. Sei lá... Não impota!
RÚBIA BOURGUIGNON
Enviado por RÚBIA BOURGUIGNON em 13/09/2005
Código do texto: T50271
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre a autora
RÚBIA BOURGUIGNON
Vila Velha - Espírito Santo - Brasil, 58 anos
192 textos (21101 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/08/20 19:17)
RÚBIA BOURGUIGNON