Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DAS MARCAS DO DESTINO...
 
Beber do cálice, o que me restou
É safra tão antiga quanto o nosso Amor
Do paladar ao beijo, que te enamorou
Desejos, lugarejos, e ponho-me a compor
 
Mil gritos, sem/cem palavras, tão atordoado
Meu lírico momento, tua primazia
De transformar o vinho em destilado
Sabor daquela música que tu ouvia
 
E Eu, nem sei ao certo o que dizer
Um ébrio se amoldando em tuas mãos
Talvez último trago, a me entorpecer
Ou Jovem que decanta, só tuas canções
 
Sim, é dessa forma, dizer...Te Amo
Versar palavras, e a taça do desejo
Torpor, Fonte e Magia; ou mero engano
Estar na tua vida...O que Eu almejo
O Guardião
Enviado por O Guardião em 04/11/2015
Reeditado em 05/11/2015
Código do texto: T5437767
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
O Guardião
São Paulo - São Paulo - Brasil, 53 anos
364 textos (35059 leituras)
13 áudios (2421 audições)
2 e-livros (2003 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/06/19 05:45)
O Guardião

Site do Escritor