Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poetisa Profana

Poetisa eu sou, inspirada nos fulgores da vida.
Fiz versos para quem chegava empunhando punhais.
Cortando minhas doces rimas com a alma fria coberta de metais.

Fiz versos para quem partia arrastando, mendigo de amor!
Via as imagens da vida retratada nas minhas rimas com fervor.
È o que tenho para deixar de legado, quando o último suspiro tiver chegado.

Fiz versos com a mão sangrando e a alma doente,
Eram clamores de um ser de amor carente.
Mesmo insana nunca fui uma poetisa profana.

Quando descrevi meu amor, com sonhos irreais.
Nunca usei contra ti, palavras que fossem desleais.
Sou uma poetisa com alma de gente, que te amou perdidamente.
Mel L Frankust
Enviado por Mel L Frankust em 06/09/2007
Reeditado em 06/09/2007
Código do texto: T641505

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Mel L Frankust
Goiânia - Goiás - Brasil
749 textos (34715 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/12/17 18:55)
Mel L Frankust