Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

OS NOSSOS GRANDIOSOS SONHOS.









É preciso reconhecer que há momentos de transcendermos para a total felicidade, esta que nos é latente em condicionalidade. Para conhecermos toda a mecanicidade do seu funcionamento, e para que as pessoas, coisas e fatos, não se alternem com frequência. É que este outro declaramento inexcedível, não significa em nosso momento de indulgencia, pois fremir com um sonho irreprimível, não corrige nada, e muito menos nos trás uma resposta como experiência.

Alguns elementos de redenção, já estão esquecidos em um pequeno espaço, mesmo com janelas e portas fechadas para uma reflexão, mas, que por momentos não podem ser abertos para um abraço. É como o desenrolar de uma história que precisa ser crível e ter espaço, para com os nossos problemas de momentos, que são os únicos fatores dos sofrimentos, e assim desenvolvemos um plano, que se coloca além do alcance de qualquer julgamento humano.

Sim, porque há ocasiões que penso que eles se tornam necessários para o aprimoramento e a nossa evolução, em busca do despertar, a cerca dos nossos atos falhos, e que estão fadados à extinção, por si mesmo, até romper o aspecto ilusório e imperfeito que ora estão manifestados.

Continuo a ser um emissário de mensagens através de um misterioso projeto, os quais enviam sem qualquer ingrediente secreto. Procuro apenas preencher e alimentar recantos e frestas nas mentes captativas, para fazer as coisas acontecerem no seu natural, sem nenhum gasto extra das energias intuitivas, e sem qualquer esforço mental.

É certo entender os nossos grandiosos sonhos, alguns quase que inatingíveis, para que não se perca o contato com a realidade, atender as exigências da vida diária através da felicidade dual, com a experienciação e a organização do tempo. Sempre procuro coordenar a minha frequência com cores que só eu as procuro vislumbrar, e as escolho, até me parecer mais convencional, como um trevo de quatro vias, e fazer algumas poesias, ou até um poema especial, com certa aparência a considerar, sem rótulos de pesar, como se fosse à explicação do olho no olho a nos expiar.

Enfraqueço enigmas, faço as linhas correrem sem risco, teorizo paradigmas, pinto um arco-íris na miragem, até voltar à origem, e também consigo quebrar o espelho da minha direção. Tento encontrar um meio, e uma definição, para enfiar um pino quadrado em um orifício redondo, jogo num dado momento, mas, nada incentivo, faço proposta sutil, mudo o sol quando ele vai se pôr, fico distante para pedir um favor, traço o meu roteiro ainda antigo, das minhas teorias sem partes, mostro o meu desejo de imitar a arte, até sair dessarte do meu centro contigo.

Marcus Paes
Enviado por Marcus Paes em 11/09/2019
Código do texto: T6742589
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcus Paes
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil
5100 textos (42290 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/09/19 03:06)
Marcus Paes