Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A MEU PAI

Não é fácil comensurar a tua ausência,
Visto que ela me foi chocante demais,
Necessário que eu me desdobrasse em paciência,
Externando o que os filhos sentem pelos pais.

Observar o teu corpo sem própria vontade,
Foi terrível ao coração de uma criança,
Que via em ti mais do que simples paternidade,
Levando ao túmulo parte de minha esperança.

Os teus olhos emurchecidos causaram-me pena,
O teu corpo frio e erecto em paciente espera,
As pessoas que te velaram, somaram centenas,
Hoje quem te chora, quem mais te venera.

A despedida foi tão aflita e comovida,
Dos olhos exaustos o fatal rio de pranto,
Das gargantas ressecadas a palavra incontida
No adeus à derradeira vez nesse espanto.

Foi trágico para eu observar-te ali estendido,
Numa destruição total aos belos sonhos meus,
A tua imobilidade deixou-me estarrecido,
Àqueles restos do que um dia foi Mateus.

1.982
JOSE LINS
Enviado por JOSE LINS em 07/10/2007
Código do texto: T684364
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
JOSE LINS
Lins - São Paulo - Brasil, 62 anos
499 textos (32230 leituras)
26 áudios (1988 audições)
4 e-livros (116 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/17 15:02)
JOSE LINS