Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AS AVES

Amontoam-se os arrulhos,
Suaves penas bramem no ar,
Depois dos vôos esvoaçantes,
Que os casais de pombos,
Humildes, pacatos e ternos,
Batem-se nos ares espessos,
Ganham as alturas medrosas,
Largam-se depois sem domínio,
Descrevem círculos, quadrados,
Sem vértices pontiagudos,
Como as verdadeiras figuras,
Que a geometria do ar
Algumas vezes permite aos voadores.

Essas aves mensageiras, velozes,
Fazem a sua paixão extensa,
Ao se prolongarem no ar,
Como verdadeiros proprietários,
Não eternos, mas temporários,
Do mesmo modo que agarram
Os minúsculos grãos de alimento,
Enquanto seus filhotes
Recebem pequenos insetos,
Menos insuficientes ao apetite,
Menos saborosos ao paladar,
Mas que o regozijo é enorme,
Pois os pais não os esqueceram.

Novamente de volta ao chão,
Retardam o vôo ao ninho,
Onde os pios dos filhotes crescem,
A minúscula gritaria deles,
Ou um atento chamado dos pais,
Que o enlevo do casal retarda,
Que o reencontro do casal suspende,
Como se as aves sem plumagens
Expostas ao frio que o entardecer,
Lento, sonoro, colorido de entusiasmo,
Que os frágeis bicos procuram,
Mas que as também frágeis asas,
Não impelem os corpos no espaço,
À procura de seus próprios interesses.

1.982
JOSE LINS
Enviado por JOSE LINS em 02/11/2007
Código do texto: T720689
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
JOSE LINS
Lins - São Paulo - Brasil, 62 anos
499 textos (32241 leituras)
26 áudios (1988 audições)
4 e-livros (116 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/12/17 08:52)
JOSE LINS