Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sem Alma

Na solidão do deserto
Clamei!
Revela-me tua alma!
Dá a essência do teu amor, teus óleos,
Ungüentos, embriaga-me na tua linguagem.
Queima-me no fogo da tua existência,
Despe-me dos véus.

Mas para mim, tua porta é fechada.
Sou ser abstrato, apagado na origem.
Envolto em neblina, desenhada nas sombras.
Dá-me puro desprezo, degredo, desdenha-me,
Oferece-me as paredes ásperas do silencio.
Eterno erro de quem ama.

Meu riso apagou-se, céu sem astros.
Referver de dor num recordar
Do que não posso ter.
Arde-me a pele, pois minha alma,
Deixo-a aos teus pés...
Sou vaso quebrado, templo fechado.


Luciah López
Enviado por Luciah López em 01/12/2007
Reeditado em 04/12/2007
Código do texto: T761067
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Luciah López
Curitiba - Paraná - Brasil
1432 textos (76763 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 15:22)
Luciah López