Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Amizade verde (Amizade de Poetas)



Lembrarei sempre daquela tarde que te conheci,
Quando a nossa amizade era ainda verde...
Quando tu coroaste o meu castelo...
E no meu vinho antigo
E na minha água de setembro
Fez brilhar todo o teu império.
Ó!... Tu que levantaste as minhas ondas,
Minhas terras e minha semente;
Que surgiste de tal modo
No recôncavo e convexo de meu ser,
Como o grão que germina o trigo no verão,
Nas linhas das luas...
Tamanha foi tua delicadeza
Que meus caminhos ficaram sem escuridão,
As palavras sem silêncio
E num raio louco transmigrou para as minhas mãos
E aqui destilo agora
Todo meu encantamento por ti.
Ó!... Tu que planificou a minha pátria
E devolveu o reinado dos mares
E fez sonata às pétalas ditosas
Do meu venturoso território
E o estrelou de azul;
Que simplificou a minha ternura,
Tilintou os meus metais
E repicou os meus sinos...
Espero construir os meus cristais
Na parede do teu coração para toda a eternidade
E escalar o alpendre do teu ser
E fazer amadurecer na tua elevada torre
O meu acordeão e as minhas digitais.

De Albert Araújo
Para a poetisa Neila Costa (entre ondas)
ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 06/10/2007
Código do texto: T683492
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
ALBERTO ARAÚJO
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil
3138 textos (159724 leituras)
33 áudios (3222 audições)
35 e-livros (6655 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 14:59)
ALBERTO ARAÚJO

Site do Escritor