Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

LUAR

O teu clarão entra pela janela
Invade as profundezas do meu coração
Que bate forte, feito bateria
Num concerto ao vivo, cheio de emoção

Me faz lembrar, o tempo em que a vida

Era curar feridas feitas pelo amor

E que habitavas todas as esquinas

Como lamparina a me fazer cantor

 

Mas que saudades da viola linda

Que te faz infinda como o céu e o mar

Das madrugadas, todas encharcadas

Com beijos de fadas, sempre a me amar

Das caminhadas pela noite adentro

Com tua presença a me acompanhar

Balé mais lindo, vinhas me seguindo

Um passo após o outro

Até quase alcançar

 

Estou sentindo aquela nostalgia

Parece magia, que me faz sair

Viola em punho, o sangue fervendo

Coração batendo, querendo explodir

Vem minha musa, sou teu seresteiro,

Vem, me toma inteiro, me faz recordar

Mais que amantes, éramos errantes

Sempre que o dia vinha nos matar

 

Mas que saudades da viola linda

Que te faz infinda como o céu e o mar

Das madrugadas todas encharcadas

Com beijos de fadas, sempre a me amar

Minhas lembranças vão me absorvendo

E eu quase cedendo acho que vou chorar

Não sei se vale, mas tô com vontade

De matar saudades de você,  luar. 

Letra: Marilda Confortin

Música: Marco Antonio Guiraud

1º. Lugar Festival Nacional Canta SERPRO – 1984

Belo Horizonte

Marilda Confortin
Enviado por Marilda Confortin em 02/07/2007
Reeditado em 03/09/2007
Código do texto: T549900

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite nome de autor e link para www.marildaconfortin.prosaeverso.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre a autora
Marilda Confortin
Curitiba - Paraná - Brasil
85 textos (14909 leituras)
8 áudios (2975 audições)
3 e-livros (154 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/19 03:37)
Marilda Confortin