Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Tesouro

Possuo vinte e seis anos
Sou pelo tempo homem feito
Embora eu tenha o trejeito
De uma criança em chão plano

Tão perto estou de mi'a mãe
Que sei dos seus sentimentos
Em todo e qualquer momento
Não há emoção que ela acanhe

Porém sua maior tristeza
Foi sempre a morte da dela
Eu, como criança que era
Não lembro dela, certeza

Bastava citar o nome
Sebastiana Teixeira
As lágrimas vinham ligeiras
Deixando a saudade com fome

Eu amo muito mãezinha
Mas sou um péssimo filho
Por vezes tirei seu brilho
Do olhar por besteira minha

Porém seu sorriso é perfeito
Alegra vê-la sorrir
Envergonhada acudir:
"Não tira foto malfeita".

Os anos foram passando
E hoje um dia qualquer
Vivi fato que sequer
Na mente estava pensando

Estou deitado na cama
No meu celular jogando
Minha mãe sobe chorando
Co' rosto rubro, qual chama

Pergunto acabrunhado:
"Minha mãe, o que aconteceu?"
Já pensei "alguém que morreu"
Quando o celular foi mostrando

Ela dizia "mandaram
Uma foto de minha mãe
Foi meu irmão Ozivan"
Então lágrimas brotaram

Quando vi no celular
A foto dessa senhora
Minha mente, que já outrora
De nada iria lembrar

Prestei atenção no rosto
Da minha linda vozinha
Lembrei que parece a minha
Mamãe que chorou com gosto

Ela dizia: "faz falta"
Eu nada pude dizer
De tudo para fazer
Foi abraça-la na pauta

Silêncio tomava o quarto
Naquele abraço tristonho
Mamãe chorando seu sonho
E eu, de emoções farto

Falei pra ela: "mãezinha
Ela cumpriu sua missão
Agora já nesse chão
Descansa minha vozinha

Porém não há mais a roça
Os tempos hoje mudaram
O tempo deles passaram
Agora a missão é nossa

Levante sua cabeça
Você é a melhor mãe do mundo
Te amo com amor profundo
Estou contigo, não esqueça!"

Depois das minhas palavras
Ela sorriu e acalmou
O rosto agora enxugou
Porém meu peito embrasava

Agora sem ela perto
Olhando para essa imagem
Entendo a triste mensagem
Que isso me traz, por certo

A frase? Sim! Repeti!
Embora ela já virou "meme"
Porém olhando essa foto
Eu digo,  e não me importo
"SAUDADES DO QUE NÃO VIVI"
Pois é minha saudade que geme.



TE AMO VÓ
TE AMO MÃE
Leandro Severo II
Enviado por Leandro Severo II em 02/07/2019
Reeditado em 02/07/2019
Código do texto: T6687003
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Leandro Severo II
São Paulo - São Paulo - Brasil, 26 anos
75 textos (3330 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/11/19 06:37)
Leandro Severo II