Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A poesia da roça

Deixei a minha roça
Vim morar na cidade
Deixei minha carroça
Da tapera  tenho saudades.

Tudo na cidade é diferente
Até o jeito de ser da população
Aqui  sinto me menos gente
Mesmo sendo um bom cidadão.

Mas o que está no sangue
Bem guardado no coração
Não se tira, nem se extingue
Com um mundo de pressão.

Tenho meu radinho de pilha
Para escutar minhas modas
Quietinho ninguém me humilha
E ninguém me incomoda.

Escuto a história da Cabocla Tereza
Chico Mineiro, Luar de Sertão
Outra  retrata encantos da  natureza
E as belezas desse mundão.

Escoltas de vaga-lumes , boi tufão
Estrada boiadeira, prato do dia
Chalana,preto velho, poeira no estradão,
Magoa de um boiadeiro, Virgem Maria!

Couro de boi quanta emoção
Ou mesmo desprezo e tristeza
Aí me deparo com o boi Tufão
Vítima e autor de triste proeza.

O homem amargurado
A sombra do ipê florido
Vê a vaca ir para o brejo
Com seu coração partido.

Para ir ao último julgamento
Duas  camisas o moço escolheu
Na longa estrada da vida com sentimento
Na bica dӇgua sua sede morreu

O mundo pode mudar, globalizar
Ou mesmo se destruir sem explicação
Mais da veia do caboclo não vão tirar
Sua paixão pelas poesias do sertão.
escritor caboclo
Enviado por escritor caboclo em 10/09/2019
Código do texto: T6741833
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
escritor caboclo
Bom Jesus dos Perdões - São Paulo - Brasil
345 textos (9702 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/09/19 02:22)
escritor caboclo