Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Rosas & Perfumes

Meu coração frequentemente me pergunta
Ele deseja saber se você está bem
Nunca consigo responder a sua dúvida
Não sei dizer se você está feliz, ao lado de outro alguém
Mas também, isso não importa
Pois, lá no céu, aquela estrela possui a resposta
Sei que você está sorrindo, pois ela ilumina
Queria senti-la, talvez uma serenata à prometida?
Não sei se gostaria, o mundo anda de forma tão esquisita
O romance deu lugar a baixaria repetida
Mas eu gostaria de escrevê-la uma simples poesia.

Por muito tempo eu sonhei contigo
Por muito tempo me senti deprimido, sozinho
As noites em claro me deixaram em puro delírio
As nuvens de março me torturaram, em sigilo
Mas, agora, estou vivo, em brilho eu sorrio
Escrevo, novamente, para o passado
"Como você tem passado?"

Não sei se ainda se lembra
Talvez foi melhor me esquecer no porão
Não sei se ainda condena
Aquele amor sofrido, em miragem de decepção
Como as rosas em jardim, eu a tinha em minhas mãos
Triste foi o fim, triste foi a resolução
Então volto agora, para dizer que sinto falta
Sinto muito, sinto você em minha triste solidão.

As constelações afastaram meus pensamentos
As estrelas tão distantes silenciaram meu sofrimento
Esquecer de você resultou em ensinamento
Não tive escolha a não ser conter meu tormento.

Meu coração simplesmente não entende
Que você se foi e não voltará
Ele simplesmente discute, inocente
Queria poder chegar perto dele e falar,
Que você voltará, mas isso seria imprudente
Sei que ele chora, sei que continuará
Mas sei também que uma hora o poço secará,
E ele irá se recuperar, valente.

Não sei se o cavaleiro que agora te acompanha,
É amado como um dia eu fui
Tão pouco sei se aquela que um dia chamei de dama,
Ainda existe, ou se destruiu
Mas, tudo bem, dizem que as pessoas mudam
Meu coração continua com os seus surtos
Meus lábios continuam vagando, entre cheiros e perfumes
Procurando um novo porto, um novo lar, um cardume
Crente que um dia encontrará uma sereia, que os afunde
Quem sabe um dia, quem sabe um pulo?
Talvez este seja apenas um momento obscuro
Talvez haja um arco-íris no fim deste longo e nefasto túnel
E que haja uma ninfa radiante, para acender meu mundo,
E tirar meu coração deste beco escuro, sem futuro.
AteopPensador
Enviado por AteopPensador em 09/11/2019
Código do texto: T6791228
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (AteopPensador). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
AteopPensador
Sabará - Minas Gerais - Brasil
499 textos (4179 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/01/20 18:26)
AteopPensador