Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MINHA SAUDADE

Encarar asfaltos,
Prédios...
Esse Centro cinza de verdes desajeitados,
de cidade, de um tempo sem urbanistas,
e muita urbanidade.

Mundo insulso, sem Ti!

Agora sei a dor de conhecer  tua textura de mar,
e de fonte nesse sítio sempre redesenhado,
por nosso caráter inventivo, pedindo para ser explorado...

Ah, a forma intensa e arredondada do prazer,
e o certeiro e amolado golpe que nos leva às entranhas do conhecimento...
Sempre existirá algo mais  do que o claro e o escuro
em cada evento.

Fórmulas que ao somar nos subtraem dos inocentes sonhos...

Os meus segredos, jamais saberei, pois levas contigo.

Sou o que somente Tu podes possuir.

Assim sei de Ti   cousas e cores que não conheces,
mas que ganham ênfase, e desproporcionalidades
quando partes de mim...
 
Sabendo-se ausência,
Dói essa presença enquanto saudade
deixando-me sem parques, nem flores
para distrair.
Margarete Fonsant
Enviado por Margarete Fonsant em 14/10/2007
Reeditado em 30/09/2008
Código do texto: T693693


Comentários

Sobre a autora
Margarete Fonsant
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil
59 textos (26263 leituras)
14 áudios (9075 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/03/21 12:21)
Margarete Fonsant