Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Clarividência


Vejo
Tão claro, tão lúcido
Meio tarde, meio depois
Coisas
Que antes não via

Vejo
E as vezes dói
E as vezes ainda penso
Que não vejo
Em outras
Sei
Que me engano

Vejo
O nó
Um nó
Não dá pra desatar
Não dá pra soltar
Nem dá pra cortar
Meu nó

Vejo
E então acredito
Que o livro
Não está escrito
Nem compartilhado
Nem partido

Vejo
Que a história
Não é minha
Que foi dividida
Que tem
Outras mãos
Que tem
Outras mentes

Vejo
Muita alegria
Outra divisão
Outro coração
Então
Parto
Em outra
Direção.

Vejo
E sinto
O tempo
Perdido
O amor
Não correspondido
O fim
De um sonho.


Resposta de: Jorge Luiz

Insista,
não pare,
não entregue assim 
a vantagem
criada por sua arte,
por seu coração,
por sua paixão;
às vezes,
a parte contrária
precisa muito mais
do que você já tem,
precisa de luz,
precisa de amor,
de uma bússola
num mar tenebroso
de enganos e equívocos,
que só uma alma tão pura e clara 
é capaz de conduzir;
insista,
pois ainda há um mundo
a girar em sua volta... 

por Jorge Luiz da Silva Alves
Fátima Batista
Enviado por Fátima Batista em 25/05/2006
Reeditado em 12/12/2007
Código do texto: T162680
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Fátima Batista
Santo André - São Paulo - Brasil, 55 anos
1436 textos (74679 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/11/18 13:58)
Fátima Batista

Site do Escritor