Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Calada...

Calada estou... calada ficarei...
O silêncio é tudo que tenho...
Para entender quanto errei...
É no vazio que me detenho...

Calada... suporto tudo calada...
Sufocando lágrimas na garganta,
Fugindo de uma árdua estrada...
Falar é bobagem... nada adianta!

Calada prosseguirei. - Até quando?
Até esta dolorosa ferida cicatrizar,
E o esquecimento secar meu pranto.
Até que eu possa novamente cantar.

Calada... calada pretendo ficar...
Exorcizando o imenso fantasma
Que teima em me assombrar...
Como a sugar todo meu plasma.

Calada... vejo o dia nascer e morrer,
Vendo o sol se pôr, outro dia nascer.
Sem poder a má sorte compreender...
Vendo tudo... sem me convencer...

Calada vou partindo, fugindo de tudo.
Escoando do meu ser a autopiedade.
Todos os infortúnios deste mundo...
Sem deixar vestígios ou saudade!...

Mary Trujillo
20.04.2011
 
Respeite os direitos autorais
Mary Trujillo
Enviado por Mary Trujillo em 14/06/2011
Código do texto: T3035179

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Mary Trujillo
São Paulo - São Paulo - Brasil
387 textos (26561 leituras)
41 áudios (1851 audições)
8 e-livros (1174 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/06/19 04:54)
Mary Trujillo