Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Último Poema

Soou como um triunfo no mar.
As águas eram gélidas,
e os ventos quentes.
Estavam perto,
mas longe de mais
para ouvir o cair de uma lágrima.
O poema soou desta vez,
pequeno, sem versos, sem versar.
A tristeza em suma imensidão,
cobria as águas,
mas não deixava, não hesitava...
era o soar do último poema.
Sentia-se triste, deslocado, submerso, desajeitado.
Era o adeus para o sonho de ser poeta.
Tudo estava parado,
como um mar depois de uma maré tenebrosa.
Lágrimas de dor ecoavam o ar,
a solidão era plena, afetiva, carinhosa,
que não via... não temia por ela chegar.
Só sabia, só entendia...
que eram os últimos versos,
que teu sepulcro se faria na calada da noite.
Que teus sonhos já fora adormecidos.
O poema ganhou vida no infinito.
E o infinito desta vez...
Teve um final.
O que seria agora do poema?
Nem rastros, nem lembranças ou cheiro.
O poema virou pó.
Esquecido nos mares do passado.
Quem pode se lembrar de algo que nunca existiu?


____________________________________________________
Publicado nos livros:

2012- Infinito- O Último Livro de um Poeta Romântico (Fábio Aiolfi)
2012- Destaques na Poesia em 2012 - Vol. II
Fábio Aiolfi
Enviado por Fábio Aiolfi em 12/02/2012
Reeditado em 14/12/2012
Código do texto: T3494790
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Fábio Aiolfi
Vila Velha - Espírito Santo - Brasil, 29 anos
113 textos (66552 leituras)
5 áudios (846 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/17 20:28)
Fábio Aiolfi